quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Sem salário, mãe de PM morto espera ajuda para poder enterrar o filho. Polícia vai pagar sepultamento

Sem salário há dois meses, Ana Maria da Silva conta com a ajuda da Polícia Militar para poder enterrar seu filho
Sem salário há dois meses, Ana Maria da Silva conta com a ajuda da Polícia Militar para poder enterrar seu filho Foto: Cléber Júnior / Extra
Igor Ricardo

Sem receber salário há dois ses, a aposentada Ana Maria da Silva, de 64 anos, conta com a ajuda da Polícia Militar para poder enterrar seu filho, Marcelo Abdalla Neder, de 34, que morreu no fim da madrugada desta quinta-feira durante um ataque de bandidos na Rodovia Presidente Dutra, na altura de Comendador Soares, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A senhora, que trabalhou na rede estadual de ensino, disse estar em estado de choque com a morte do soldado, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Complexo do Lins, na Zona Norte do Rio. A PM informou, por meio da assessoria de imprensa, que o sepultamento de Marcelo, assim como o dos demais PMs mortos em serviço ou de folga, será bancado pela corporação.
O policial militar Marcelo Abdalla Neder morreu no fim da madrugada desta quinta-feira durante um ataque de bandidos na Rodovia Presidente Dutra, em Nova Iguaçu
O policial militar Marcelo Abdalla Neder morreu no fim da madrugada desta quinta-feira durante um ataque de bandidos na Rodovia Presidente Dutra, em Nova Iguaçu Foto: Arquivo pessoal
— A gente precisa gritar para ver se tudo se endireita. Onde está o pessoal dos Direitos Humanos agora? Meu filho nem 13º (salário) recebeu, mas estava cumprindo com sua obrigação como policial — afirmou Ana Maria.
Os parentes de Marcelo foram até o Instituto Médico-Legal (IML) de Nova Iguaçu, também na Baixada Fluminense, para liberar o corpo do agente. Natural de Resende, no Sul Fluminense, o policial deixa uma filha de 10 anos do seu primeiro casamento. Marcelo também estava com apenas 12 dias de casado.
Segundo a irmã da vítima, Andreia Cristina da Silva, de 43 anos, Marcelo andava na rua com medo e iria começar um curso de Direito.
— Ele queria tentar um concurso federal. Estamos arrasados. Ficamos sabendo da morte dele pela televisão porque ninguém nos dava informação. Muito triste — disse Andreia.
Ainda de acordo com a família, Marcelo estava há três anos na corporação. Ele será enterrado na manhã desta sexta-feira, às 10h, no cemitério Altos dos Passos, em Resende.
No momento do incidente com os criminosos, ele ia para o trabalho com mais dois amigos: Carlos Roberto Freitas, de 35 anos e Bruno Aurélio de Carvalho, de 28. O Hospital Geral de Nova Iguaçu, o Hospital da Posse, para onde foram levados, informou que Carlos Roberto teve ferimento por arma de fogo na perna, foi avaliado pelas equipes de Cirurgia geral, Ortopedia e Clínica médica, submetido a exames de imagem (raio-x), medicado e já recebeu alta. Bruno Aurélio sofreu múltiplas lesões pelo corpo, foi avaliado pelas equipes de Cirurgia Geral, Ortopedia e Neurocirurgia, submetido a exames de imagem (Raio-x e Tomografia Computadorizada). Foi medicado e também já recebeu alta.
A mãe do policial, Ana Maria da Silva e a irmã Andreia Cristina lamentam a morte de Marcelo Abdalla Neder e pedem ajuda ao Estado para o enterro
A mãe do policial, Ana Maria da Silva e a irmã Andreia Cristina lamentam a morte de Marcelo Abdalla Neder e pedem ajuda ao Estado para o enterro Foto: Cléber Júnior / Extra
O crime
Segundo informações da PM, o crime ocorreu por volta das 4h. Os agentes seguiam no carro do soldado Carlos Roberto Freitas, também de UPP. Na altura do posto de gasolina Mata Virgem, em Nova Iguaçu, o trânsito ficou engarrafado e Carlos tentou cortar os demais veículos. Foi quando se deparou com sete bandidos que assaltavam um caminhão de carga.
Os criminosos pararam o carro o Prisma e, ao perceberem que os ocupantes eram policiais, abriram fogo. Carlos foi baleado no joelho e o soldado Bruno Aurélio de Carvalho, espancado. Os dois foram levados para o Hospital Geral de Nova Iguaçu e já tiveram alta. Os criminosos fugiram levando o Prisma e uma pistola do soldado Bruno.
Polícia Civil diz que faz diligências para identificar suspeitos
Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que foi instaurado um inquérito para apurar o crime e que a DHBF tenta identificar os suspeitos do ataque:
"Segundo informações da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense – DHBF, na madrugada de hoje, 5 de dezembro, Marcelo Abdala Neder, de 34 anos de idade, foi morto a tiros no Km 184 da BR 116, Comendador Soares, Município Nova Iguaçu. Na ação outras duas pessoas foram baleadas e levadas ao hospital. Perícia foi realizada. Procedimento policial foi instaurado para apurar as circunstâncias do fato. Diligências estão em andamento para identificar e localizar os autores".



Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário

Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
Para anunciar aqui faça contato com (35) 3715-7938

Poltrona 1 Turismo

Poltrona 1 Turismo
Venha viajar com a gente!

JEIZA MANICURE "UNHAS EM GEL"

JEIZA MANICURE "UNHAS EM GEL"
TELEFONES - (35) 3721-3625 e (35) 9 9943-0635 E-mail: jeizaxu@hotmail.com

JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL

JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL
JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL

WHATSAPP da Regional do Cscs Poços de Caldas

WHATSAPP da Regional do Cscs Poços de Caldas
Deixe sua mensagem

CENTRO SOCIAL DOS CABOS E SOLDADOS

Seguidores do Blog:

Total de visualizações de página

Postagem em destaque

Diretor de Comunicação do CSCS Regional Poços de Caldas completa mais um ano de vida

Amanhã o Cscs Poços de Caldas está em festa, é dia de aniversário... Parabéns, Sgt Erivelton Germano!!! Que seu novo ciclo seja de muit...

Arquivo do blog