quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

PEDIU PARA SAIR Comandante-geral da PM, Marco Antônio Bianchini renuncia ao cargo

Em reunião com o governador Fernando Pimentel, coronel pediu para deixar o posto

DEN_NOVAS_VIATURAS011.jpg

Coronel Marco Antônio Badaró Bianchini renunciou ao cargo de comandante-geral da PM
O comandante-geral da Polícia Militar (PM), coronel Marco Antônio Badaró Bianchini, pediu ao governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), para ser retirado do cargo máximo da corporação. A informação foi confirmada oficialmente. Em carta, o policial alegou "motivos pessoais" para a saída e disse ter tomado a decisão depois de conversas familiares. A troca de comando ainda deve ser oficializada. Não há data para o ato.
O atual comandante tomou posse logo que Pimentel assumiu o governo do Estado, em janeiro de 2015. No período, Bianchini completou 30 anos de trabalhos prestados frente à PM, mas, mesmo assim, preferiu permanecer no cargo.
O coronel Helbert Figueiró de Lourdes, atual chefe do gabinete militar do governador e coordenador estadual de Defesa Civil, é cotado para assumir o cargo deixado por Marco Antônio Badaró Bianchini. A proximidade de Figueiró com Pimentel vem de longa data. Entre 2001 e 2008, ele trabalhou como ajudante de ordens do então prefeito de Belo Horizonte.
De acordo com o subtenente Gonzaga, deputado federal pelo PDT e ex-presidente da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra-MG), a decisão de Bianchini respeitou a "sucessão natural" de cargos dentro da corporação.
"Pelo o que venho acompanhando e conheço dos bastidores da PM, o que aconteceu está dentro da lógica de sucessão entre oficiais e coronéis. É um valor muito cultivado dentro da corporação em Minas. É como se fosse uma regra para que todos tenham espaço no comando", explicou.
Para Gonzaga, a postura de Bianchini respeitou os princípios internos da PM, pois o comandante-geral estava há dois anos no cargo, mas poderia continuar no posto até o fim do governo de Fernando Pimentel. "Se ele continuasse no cargo, e pela lei ele poderia, estaria anulando uma sucessão no comando em um mesmo governo. Então essa troca está dentro da naturalidade", completou.

O Tempo tentou contato com o coronel Bianchini, mas ele ainda não respondeu às tentativas de entrevista.
Fonte:http://www.otempo.com.br/
Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário

Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
Para anunciar aqui faça contato com (35) 3715-7938

Poltrona 1 Turismo

Poltrona 1 Turismo
Venha viajar com a gente!

JEIZA MANICURE "UNHAS EM GEL"

JEIZA MANICURE "UNHAS EM GEL"
TELEFONES - (35) 3721-3625 e (35) 9 9943-0635 E-mail: jeizaxu@hotmail.com

JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL

JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL
JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL

WHATSAPP da Regional do Cscs Poços de Caldas

WHATSAPP da Regional do Cscs Poços de Caldas
Deixe sua mensagem

CENTRO SOCIAL DOS CABOS E SOLDADOS

Seguidores do Blog:

Total de visualizações de página

Postagem em destaque

PM tira 206 policiais do administrativo para atuar nas ruas de BH

Imagem ilustrativa retirada da internet http://www.otempo.com.br/cidades/pm-tira-206-policiais-do-administrativo-para-atuar-nas-ruas-de-...

Arquivo do blog