terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Material escolar sobe quase 6 vezes mais do que a inflação Reajuste de até 36% em um ano foi provocado por aumento de ICMS e alta do valor do papel

material escolar
Negociação. Mabele Gontijo (dir) disse que a solução é pesquisar muito e barganhar com os lojistas para aliviar um pouco o bolso

Com a chegada do ano novo, volta também a corrida pelo melhor preço em materiais escolares. Neste ano, porém, pais e alunos da capital mineira vão encontrar, nas papelarias, produtos que encareceram até seis vezes mais que a inflação do ano passado. De acordo com pesquisa realizada pelo site Mercado Mineiro, entre os dias 2 e 7 de janeiro, um caderno com espiral e capa flexível (96 folhas) está custando, em média, R$ 5,81. No mesmo período do ano passado, o preço era R$ 4,27 – uma alta de 36,07%, frente à previsão de 6,3% do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2016.


Outros tipos de caderno também puxaram a alta nos materiais escolares. Em seguida, aparecem os pacotes de papel A4, com inflação de 27,12% (100 folhas) e de 20% (500 folhas). De acordo com o vice-presidente de regiões comerciais e shoppings centers da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), Marco Antônio Gaspar, os culpados pela alta foram o aumento do ICMS e a alta internacional no preço do papel.



“O papel teve o seu valor aumentado, em dólar, em quase 30%, e, como somos produtores de papel, esse aumento demorou para chegar ao mercado interno”, diz Gaspar, também proprietário da papelaria Brasilusa. “Em 1º de janeiro de 2016, tivemos o aumento do ICMS para todos os materiais escolares em Minas Gerais. O produto que mais sofreu foi o caderno. Nós pagávamos 8% do preço de custo, e começamos a pagar 20%”.



Para o coordenador do Mercado Mineiro, Feliciano Abreu, isso não justifica um aumento tão acima da inflação. “Podemos ter alguma variação de preço no mercado interno, mas o dólar caiu”, diz, apontando o aumento por oportunidade como uma das possíveis causas. “Esse é o Natal das lojas de material escolar, porque os pais precisam do material para iniciar ano letivo”.



Variação. Quando o assunto é a diferença de preço nas lojas de Belo Horizonte, há produtos, como a cola branca, que chegam a variar 610%. A fita crepe vem em seguida, com 535%.



Para a concurseira Mabele Gontijo, 39, a solução é a pesquisa e a barganha. “Com negociação, eu consegui mais barato que no ano passado”, conta ela, que foi comprar livros para a filha e acabou levando cadernos por cerca de R$ 1 mais baratos. “Conheço um lugar mais barato, e, como negociei, o vendedor cobriu esses preços para mim”, conta.


ORIENTAÇÃO

Pais precisam buscar melhor valor

Enquanto os preços de materiais escolares continuam subindo, pais têm se virado para conseguir preços melhores. O coordenador do Mercado Mineiro, Feliciano Abreu, orienta que os consumidores pesquisem preço e negociem. “No ano passado nós orientávamos a ir a duas, três papelarias buscando o menor preço. Neste ano, tem que ir a quatro, cinco, até conseguir encaixar no orçamento”, avalia. “O consumidor também tem que exercer a negociação, tanto no valor final como nos prazos. Quem não tiver condição de pagar tudo de uma vez pode negociar as condições de pagamento”, afirma Feliciano.


Segundo o comerciante Marco Antônio Gaspar, o consumidor já está adotando esses hábitos. “O que percebemos é que o consumidor está mais negociador”, diz ele, acrescentando que a legalização do desconto para quem paga em dinheiro também ajudou.



A belo-horizontina Mabele Gontijo, 39, por exemplo, foi uma das premiadas com o esforço. “Usei todos os artifícios e meios que eu tinha para conseguir o melhor preço. E, de todos os nove anos que minha filha está na escola, esse foi o mais barato de todos”, avalia ela, que baixou a lista de livros escolares de R$ 1.360, em 2016, para R$ 800, neste ano. “Até o ano passado eu nunca tinha comprado um livro usado, por exemplo”, explica a concurseira.

Inflação. Passagens aéreas e frutas também estão com preços acima da inflação do ano. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), a variação foi de 9,25% de 2016 para 2017.
Fonte:http://www.otempo.com.br/
Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário

Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
Para anunciar aqui faça contato com (35) 3715-7938

Poltrona 1 Turismo

Poltrona 1 Turismo
Venha viajar com a gente!

JEIZA MANICURE "UNHAS EM GEL"

JEIZA MANICURE "UNHAS EM GEL"
TELEFONES - (35) 3721-3625 e (35) 9 9943-0635 E-mail: jeizaxu@hotmail.com

JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL

JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL
JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL

WHATSAPP da Regional do Cscs Poços de Caldas

WHATSAPP da Regional do Cscs Poços de Caldas
Deixe sua mensagem

CENTRO SOCIAL DOS CABOS E SOLDADOS

Seguidores do Blog:

Total de visualizações de página

Postagem em destaque

CLUBE DA ALCOA, CONVENIADO DO CSCS POÇOS DE CALDAS REABRIRÁ AS PISCINAS DIA 02 DE SETEMBRO

Alô Alô sócio e dependentes CSCS... O Clube da Alcoa anuncia que reabrirá a piscina para curtirmos o verão que vem por aí, dia 02...

Arquivo do blog