segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Paralisação dos militares causa interrupção de serviços em todo ES

Escolas fechadas. Postos de saúde fechados. Comércio fechado. Tudo está interrompido ou suspenso por enquanto. É a sociedadesentindo a ausência da Polícia Militar do Espírito Santo nas ruas. A PMES está, desde a última sexta-feira (3) passando por uma "greve branca" ou "aquartelamento", como classificou o Governo do Estado por meio da secretaria de Segurança (Sesp). Porém, conforme ESHOJE informou com exclusividade na sexta, famílias dos militares realizam um ato de protesto, impedindo o funcionamento pleno dos Batalhões da PMES e Corpo de Bombeiros. Relembre
Com cartazes com dizeres como “A polícia que mais diminui índices no Brasiltem o menor salário”, “O pior salário do Brasil” e “Cumpra-se a Lei, correção salarial já”, o grupo permanece nas entradas dos batalhões e Companhias inteiras estão impedidas de atuar. 
Para tentar expor ao Governo o a real situação da PMES, as associações da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado do Espírito Santo (ACS), dos Oficiais Militares do Espírito Santo (Assomes), dos Militares da Reserva, Reformados, da Ativa da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros Militar e Pensionistas de Militares do Estado do Espírito Santo (Aspomires) e dos Bombeiros Militares do ES (ABMES), se reuniram e enviaram um documento solicitando uma reunião com o Governador Paulo Hartung.
O documento foi oficializado no dia 31 de janeiro e enviado ao Governo no dia seguinte, sugerindo que o encontro fosse realizado até a primeira quinzena deste mês. São sete anos sem aumento e três anos sem revisão anual, salário de pouco mais de R$2.600,00, o menor entre os estados brasileiros, informa o presidente da Assomes o Major Rogério Fernandes Lima.
Escolas e unidades de saúde fechadas
A Prefeitura de Vitória informa que decidiu suspender as aulas, marcadas para começar nesta segunda-feira (6), para garantir a segurança dos alunos, professores e servidores. As unidades de saúde de Vitória também não irão funcionar nesta segunda.
Por meio de nota a PMV informou que "De forma a resguardar a integridade e a segurança de pacientes e servidores da Saúde, a Prefeitura de Vitória decidiu suspender o atendimento em todas as unidades de saúde de Vitória nesta segunda-feira (6). Com isso, a vacinação contra a febre amarela está temporariamente suspensa até a normalização até o fim do protesto dos familiares de policiais militares. Já o atendimento nos pronto-atendimentos da Praia do Suá e São Pedro continua normal neste início de semana".
A Justiça decidiu suspender processos e prazos processuais e o Ministério Público estadual decidiu pela suspensão do expediente na Procuradoria-Geral de Justiça e nas Promotorias de Justiça da Região Metropolitana, como medida preventiva, até que a situação na área de Segurança Pública retorne à normalidade. As chefias de Promotoria de Justiça dos demais municípios devem avaliar a necessidade da suspensão do expediente e relatar os fatos à Administração Superior. Nesta segunda-feira (6) será feita uma nova avaliação do quadro e as informações serão publicadas nos canais internos de comunicação. 
O Instituto Federal de Ensino (Ifes) também suspendeu suas aulas e a Universidade Federal (Ufes) seguiu na mesma linha alegando necessidade de resguardar a segurança de alunos e servidores. A rede particular de educação, que retomaria as atividades nesta segunda, também suspendeu. 
Fim de semana de terror
Com o impedimento da saída e entrada de viaturas dos Batalhões da PMES em todo Espírito Santo, os militares não estão nas ruas garantindo a segurança da sociedade capixaba. Desta forma, os índices de criminalidade e vandalismo foram às alturas no fim de semana. De sexta-feira (3) a madrugada desta segunda-feira (6) foram registradas 22 mortes, além de assaltos, arrombamentos de imóveis, roubo de veículos e arrastões.
No domingo o Shopping Mestre Álvaro, na Serra, foi alvo de ação de criminosos. A administração do mall nega, mas quem esteve lá relata os momentos de horror. "Eu estava dentro de uma loja de departamento e os funcionários fecharam as portas, com vários clientes dentro. As pessoas gritavam, choravam, todos estávamos desesperados. A gente via gente no chão, sendo agredida. Foi horrível", relatou Mariana Dias.
Em Campo Grande, Cariacica, maior polo comercial da cidade, quatro lojas foram arrombadas e saqueadas. Em Laranjeiras, na Serra, diversos relatos de arrastões.
Fonte:http://www.eshoje.jor.br/
Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário

Anuncie aqui!

Anuncie aqui!
Para anunciar aqui faça contato com (35) 3715-7938

Poltrona 1 Turismo

Poltrona 1 Turismo
Venha viajar com a gente!

JEIZA MANICURE "UNHAS EM GEL"

JEIZA MANICURE "UNHAS EM GEL"
TELEFONES - (35) 3721-3625 e (35) 9 9943-0635 E-mail: jeizaxu@hotmail.com

JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL

JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL
JARDIM SECRETO OUTLET INFANTIL

WHATSAPP da Regional do Cscs Poços de Caldas

WHATSAPP da Regional do Cscs Poços de Caldas
Deixe sua mensagem

CENTRO SOCIAL DOS CABOS E SOLDADOS

Seguidores do Blog:

Total de visualizações de página

Postagem em destaque

Disque-Denúncia recebeu mais de 280 contatos sobre a Rocinha em dez dias

Até as 12h desta terça-feira (26), 284 pessoas procuraram o Disque-Denúncia para apresentar informações sobre criminosos na comunidade da R...

Arquivo do blog